Comer consciente ajuda a emagrecer?

15 maio

 

Quem aqui come assistindo o último episódio daquela série? Ou sempre janta na frente do noticiário? Então se você está almoçando ou fazendo um lanchinho e aproveitou para ler esse artigo, pare e preste atenção por uns minutinhos que eu prometo que você não vai se arrepender.

O assunto de hoje é: comer conscientemente. Mas o que que é isso? Bom, você NÃO come de maneira consciente quando faz refeições vendo TV, mexendo no celular ou computador. Isso desvia a atenção de como e do que estamos comendo.

Comer conscientemente é prestar atenção no sabor, na textura e na temperatura da comida. Envolve todos os sentidos e nossa plena atenção. Coisa rara nos dias de hoje, né? Caminhar após o jantar emagrece? Sim, isso pode se tornar um aliado na sua dieta.

Isso faz com que a alimentação seja um ato intencional ao invés de algo simplesmente
automático. E deixar de lado o celular, dar uma pausa no trabalho para comer seu sanduíche no fim do dia e realmente prestar atenção no ato de comer tem muitos benefícios.

Você acaba comendo mais devagar, mastigando melhor e dando tempo para seu corpo fazer o processo de digestão e… bom, a gente já vai falar mais sobre tudo isso! Porque quando você engaja todos os seus sentidos no ato de comer, você desenvolve sua capacidade de reconhecer a própria fome e a sensação de saciedade e consegue distinguir se você PRECISA comer ou se você simplesmente está com VONTADE de comer.

Isso faz tanta diferença que gerou resultados impressionantes em estudos feitos na Universidade de Wisconsin, em Whitewater, nos Estados Unidos. Um grupo de pessoas obesas foi acompanhado durante 24 semanas. Nesse tempo, os participantes simplesmente fizeram práticas de meditação, refeições feitas de maneira atenta e consciente, além de discussões em grupo a respeito das sensações físicas e emocionais sobre sua alimentação. Ou seja, exercitaram o “comer conscientemente”.

Os resultados dessa prática foram físicos e psicológicos: os participantes demonstraram diminuição em stress e compulsão alimentar, além de terem perdido em média 12 kg e não terem recuperado peso nos três meses subsequentes ao término dos encontros.

Já um estudo feito na Universidade de Oregon resolveu testar o quanto nossa visão está ligada com a nosso padrão de alimentação e nossa sensação de saciedade. Será que comemos mais quando estamos distraídos e não estamos olhando para o alimento?

Os cientistas reuniram alguns torcedores em um jogo de Futebol Americano, e disseram que eles poderiam comer quantas coxinhas de galinha quisessem. Metade das mesas foi continuamente limpa, ou seja, os ossos que sobravam eram recolhidos dessas mesas, enquanto as outras não foram limpas nenhuma vez e os ossinhos ficavam visíveis para os participantes.

No final do jogo, o grupo que tinha sua montanha de ossinhos recolhida, e por isso não tinham o estímulo visual da quantidade de comida que já tinham ingerido, acabou comendo 34% mais do que as outras pessoas! Impressionante, né?

Comemos com os olhos

Então isso quer dizer que a gente “come com os olhos”? Em boa parte, sim. Nossa percepção do tamanho das porções afeta a quantidade que estamos propensos a ingerir. Isso também serve para o tamanho de embalagens. Em mais um experimento feito na Universidade de Oregon, foram dadas para os participantes dois tipos de embalagem de M&Ms: uma maior, com 455 gramas, e outra menor, com 227 gramas.

Aquelas pessoas que receberam as embalagens maiores acabaram comendo em média 66 M&Ms a mais do que as que receberam a embalagem menor. Ou seja, 264 calorias a mais! Uma grande ideia de um “comer consciente” é comer mais devagar.

Mil coisas para resolver na hora do almoço, pouco tempo para realmente sentar com calma e simplesmente comer sem estar com a cabeça em outro lugar. Todos nós vivemos neste mundo atarefado e apressado, mas uma coisa tão simples quanto comer devagar e mastigar bem pode fazer toda a diferença na sua alimentação e saúde em geral.

Segundo pesquisa feita pela Universidade de Rhode Island, quem se alimenta de forma mais lenta se sente mais saciado e relata sentir mais prazer na sua alimentação comparado com quem come rápido. E pesquisadoras da Universidade de Atenas estimam que demorar pelo menos entre 20 e 30 minutos por refeição dá tempo suficiente para que o corpo equilibre os níveis de hormônios como a Leptina e a Grelina, que são os hormônios que regulam a sensação de saciedade.

Então, te convencemos a transformar suas refeições em um momento mais tranquilo, consciente e sem distrações? Ótimo! Comer conscientemente é muito mais simples do que você imagina.

Dicas para comer consciente

Por isso nossa equipe preparou para você algumas dicas para fazer da prática de comer conscientemente um hábito:

1. Procure estabelecer uma rotina para as suas refeições. Horários planejados e ambientes calmos, sem distrações como a televisão, celular, internet, leituras ou interrupções auxiliam a focar no momento da refeição.

2. Utilize os sentidos: olfato, visão e paladar. Sinta as texturas. Aprecie o alimento.

3. Controle o tamanho da sua mordida. Evite a pressa ao comer, mastigue devagar e termine a mastigação antes de levar mais comida a boca. Uma dica para ajudar no ritmo da refeição é soltar os talheres entre cada garfada.

4. Cuide com o quanto e com o que está indo para o seu prato. Qualidade é importante, quantidade também!

5. Preste atenção de verdade nos sinais do seu corpo e saiba a hora de parar: pare de comer quando se sentir satisfeito ou satisfeita.

6. Caminhar após a janta emagrece; faça disso um hábito.

Faça do comer consciente um hábito! Certamente isso vai ajudar você a melhorar muito a qualidade da sua alimentação! E pra terminar esse artigo vamos lançar um desafio para você: Escolha uma refeição por dia e use as dicas que acabamos de passar. Depois, nos contem nos comentários como foi!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *